Busca no Blog

7 de agosto de 2017

Tesouro de Exemplos - Parte 390

HUMILDADE DO CURA D’ARS

O santo Cura d’Ars recebera de um colega uma carta que começava assim:
— Sr. Vigário, quando se sabe tão pouco a teologia, como é o seu caso, nunca se deve entrar no confessionário.
O Santo, que nunca achava tempo bastante para responder as inúmeras cartas que recebia, a esta respondeu imediatamente:
— Quanta razão tenho de amar-vos, meu caríssimo e reverendíssimo colega! Vós sois o único que me conhece. Já que sois tão bom e caridoso, interessando-vos pela minha pobre alma, ajudai-me a obter a graça, que peço sempre, de ser substituído no cargo, de que sou indigno pela minha ignorância, a fim de retirar-me a um canto e chorar a minha pobre vida...
Confundido com tamanha humildade, o autor da insolente carta correu a pedir desculpas ao Santo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário