Busca no Blog

5 de setembro de 2015

Catecismo Ilustrado - Parte 57

A Oração

A Oração Dominical

Explicação da gravura

1. A gravura trata da “oração dominical” ou “Pai nosso”; “oração dominical” quer dizer oração do Senhor, porque Nosso Senhor Jesus Cristo foi quem a compôs para nos ensinar a orar.
2. Consta a oração dominical de uma invocação e sete petições.
3. As palavras de invocação são: “Pai nosso que estais no Céu”, que são como um pequeno prefácio, ou exórdio para a oração dominical.
4. Chamamos a Deus nosso Pai, porque Jesus Cristo quer que oremos a Deus com amor e confiança filial.
5. Dizemos “Pai Nosso” e não “Pai meu”, porque devemos orar como irmãos uns dos outros, e como membros da Igreja, pertencentes à mesma família do Pai celestial.
6. Acrescentamos “que estais no Céu”, para levantar os nossos corações a contemplar o infinito poder de Deus que resplandece particularmente na obra dos Céus, e ainda para nos advertir que a nossa oração, para obter os bens materiais, deve ser encaminhada a conseguir os bens celestiais.
7. 1º petição: “Santificado seja o vosso nome”. – Pedimos nesta primeira petição que Deus seja conhecido em todo o mundo e que o seu Santo Nome seja honrado e glorificado com é justo. Devemos todos santificar o nome de Deus, reconhecendo como dom seu todo o bem espiritual como temporal, mas santifica-se particularmente aquele Santo Nome obedecendo ao que Ele nos manda. Está representada esta petição pela cura dum coxo, operada por São Pedro quando disse: “Em nome de Jesus, levanta-te e anda”.
8. 2º petição: “Venha a nós o vosso reino”. – Pedimos com estas palavras que venha depressa o reino de Deus, isto é, que Deus reine nas almas dos cristãos pela Graça, e que acabadas as batalhas que temos com o mundo, o demônio e a carne, cheguemos à eterna bem-aventurança. Mas devemos fazer violência a nós mesmos para arrebatar esta glória. Está representada esta petição por Tobias profetizando o advento do reino de Deus.
9. 3º petição: “Seja feita a vossa vontade assim na terra como no Céu”. – Pedimos a Graça para cumprir os mandamentos e também que a vontade de Deus seja conhecida, venerada e obedecida em todo o mundo de tão bom grado como os Anjos obedecem no Céu. Está representada no centro da gravura por Nosso Senhor orando no jardim das Oliveiras.
10. 4º Petição: “O pão nosso de cada dia nos dai hoje”. – Pedimos assim o pão quotidiano tanto espiritual que é a Graça de Deus, como o temporal, que é o sustento necessário para nos conservar ao serviço de Deus. Esta petição está representada por um anjo que traz um pão ao Profeta Elias.
11. 5º Petição: “Perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido”. – Pedimos a Deus que nos perdoe os nossos pecados, como nós perdoamos as ofensas que nos fazem. O perdão das injúrias é uma condição sem a qual não podemos receber de Deus o perdão dos nossos pecados. A quinta petição está representada por Jesus Cristo perdoando na Cruz aos seus verdugos, e por David poupando a Saul que o perseguia para matá-lo.
12. 6º petição: “Não nos deixeis cair em tentação”. – Pedimos a Deus que nos livre das tentações, ou não permitindo que sejamos tentados, ou dando-nos a Graça de não sermos vencidos. As tentações, se não consentimos nelas, são úteis e meritórias, porque nos fazem ser humildes e recorrer a Deus; vêm a ser uma ocasião de merecimento na Terra, e de glória no Céu quando saímos vencedores. Para não sermos tentados, devemos fugir particularmente de três coisas: a ociosidade, o dormir muito e a intemperança. A gravura representa a tentação de Nosso Senhor no deserto.
13. 7º petição: “Mas livrai-nos do mal”. – Pedimos a Deus que nos livre de todo o mal, tanto da alma como do corpo, no tempo e para a eternidade. Nas adversidades devemos sofrer com paciência e submeter-nos à vontade de Deus.
A gravura representa Daniel miraculosamente preservado da fúria dos leões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário