Busca no Blog

25 de fevereiro de 2018

Retratos de Nossa Senhora, Juan Rey, S. J.,

RETRATOS DE NOSSA SENHORA

Nossa Senhora Virgem-Mãe


Parte 5/6

O que é lamentável, é que muitos pais perdem culpavelmente os seus filhos e não choram por eles, nem sequer os procuram porque não dão importância a isso.
Que espetáculo tão desolador o que oferecem as cidades e as provações ao cair da tarde e nas primeiras horas da noite! Os bares estão cheios de pares que bebem e fumam e dizem graças picantes. Os salões de baile estão repletos de pares que bebem e dançam num ambiente de orgia. Os cinemas estão cheios de pares que reproduzem cenas mais escandalosas do que as que aparecem na tela. Os cantos das ruas e os portais escuros estão de onde a onde salpicados com pares que lá sabem o que fazem. Os arredores das povoações estão semeados de pares em atitudes tão indecorosas que as pessoas decentes não podem passar por ali.
Antes estes espetáculos repugnantes e vergonhosos as pessoas dignas perguntavam-se: Estes jovens e sobretudo estas jovens terão pais? E se os têm, onde estão? Andam pelas ruas angustiados, como a Virgem Maria e São José, procurando os seus filhos e filhas? Esses pais estão tranquilos em suas casas, até que os filhos queiram voltar? Esses pais estarão talvez como os seus filhos, divertindo-se e pecando também. E esses pais que dizem que são cristãos e que como tais devem conhecer as suas obrigações gravíssimas, esses pais têm a consciência tranquila?
Os pais de Tobias, obrigados pela necessidade, enviaram o seu jovem filho a terras longínquas, à casa de um parente seu para cobrar uma divida. Não queriam mandá-lo só por aqueles caminhos e recomendaram-no a um viajante, que lhes pareceu dotado de extrema prudência e bondade. Não fosse ele o Arcanjo São Rafael disfarçado de viajante. 
Porém os meses passavam e o filho não voltava. Então os pais de Tobias começaram a inquietar-se e a arrepender-se de ter deixado sair seu filho de casa. A mãe, sobretudo, chorava inconsolável e suspirava: "Porque te mandamos a terras distantes, luz dos nossos olhos, ânimo da nossa velhice? Porque te mandamos a buscar um pouco de dinheiro? Porque te recomendamos a uma pessoa estranha?" E saía de casa todos os dias, e espiava os caminhos a ver se divisava ao longe o seu filho; e regressava a casa desfeita em lágrimas e suspirando: "Que será de ti, meu filho!" E a sua amargura crescia a ponto de ser capaz de a matar, até que o viu voltar são e alegre acompanhado do anjo disfarçado.
Que pouco se parecem com os pais de Tobias os pais de que estamos falando! Chega a noite, passam as horas, vossa filha ou vosso filho devia vir para casa e não vem. Desencaminhou-se talvez com más companhias, e não saís a procurá-lo e não vos preocupais.
Os pais de Tobias tinham recomendado seu filho a um anjo. Tu, com quem mandaste tua filha, com um anjo ou com um demônio? Pelo menos mandaste-a com um homem; comum jovem. E não sabes que um homem não é um anjo? Tu, pai de família, que és homem, não sabes o que são os homens?
Tu, pai dessa filha, que foste jovem, esqueceste o que são os jovens? Não sabes por experiência que os homens, e mais ainda os jovens, têm paixões violentas, que são liquido inflamável, e que uma faúlha pode provocar a explosão e que essa faúlha pode ser a tua filha?
A tua filha volta para casa depois de uma tarde e uma noite de diversão, e volta triste e mal humorada e não dás importância a isso, contentas-te com dizer-lhe: Porque estas assim, que te fizemos? Ah! se soubesses a tragédia que se passa no interior de tua filha! Se soubesses como ficou a honra dessa filha, que é a tua honra!
E tens pundonor, e tens consciência da obrigação grave, gravíssima que têm os pais de vigiar os seus filhos? Pelo menos, devias saber. Porque os pais e as mães que assim descuidam essa obrigação gravíssima, são a maioria das vezes, pais católicos, pais que se prezam de ter uma formação religiosa muito completa, são mães que comungam tranquilamente todos os dias, mães que sonham com fazer apostolado fora do seu lar.
Chora a Virgem porque perdeu o seu filho, sem culpa da sua parte.
O teu filho, a tua filha perdeu-se por culpa tua, pelo teu abandono criminoso e não choras. Chegará o dia em que conheças com clareza o teu pecado; Deus te fará conhecer e então chorarás lágrimas irremediáveis.
"Ibi erit fletus". No inferno haverá pranto, disse Jesus Cristo. O pranto de uns pais que perderam culpavelmente seus filhos na terra, e não choraram a sua perda nem os foram procurar. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário