Busca no Blog

3 de fevereiro de 2018

Retratos de Nossa Senhora, Juan Rey, S. J.,

RETRATOS DE NOSSA SENHORA.

Nossa Senhora Virgem-Mãe


Parte 8/9


São conceitos antagônicos: maternidade e egoísmo.
O egoísmo diz: pensar só em mim sem preocupar-me com os mais; procurar o meu bem estar, ainda que para isso tenha de sacrificar os mais.
A maternidade diz: esquecer-me de mim, para pensar nos outros; sacrifício próprio pelo bem dos mais.
Por isso a jovem que aspira a ser uma mãe exemplar, tem que preparar-se arrancando todos os rebentos do egoísmo e acostumando-se ao sacrifício.
Não se prepara a que cultiva o egoísmo. A que procura o seu prazer sem preocupar-se com o bem dos outros. A que tem como plano diário - aonde e como gozarei mais?
A que pretende ser um ídolo a quem todos adorem: os pais, os irmãos, as amigas, o noivo; e mais tarde, o marido, os filhos, e os criados.
Numa jovem assim, o egoísmo abafará o instinto da maternidade.
Quando for esposa, não quererá o peso dos filhos, porque custam muitos sofrimentos, e ela não sabe sofrer.
O máximo aceitará um ou dois, para que alegrem a casa e a acompanhem quando estiver só, pois a solidão é muito triste.
E a esses filhos só dará o imprescindível: não os amamentará nem alimentará quando os pequenos, não cuidará deles quando maiores, não os educará. Tem que divertir-se e não pode estar presa ao lar.
Quando os filhos forem maiores e pretenderem tomar estado de vida, irritar-se-á e, se puder, evitá-lo-á. Quer que, quando ela seja idosa e não possa divertir-se e todas a abandonarem, aquele filho ou filha estejam sempre ao seu lado, acompanhando-a e mimando-a; ainda que os filhos tenham de sacrificar os seus ideais de matrimônio, de apostolado e todo o seu futuro.
Essa mulher, embora tenha filhos, não tem a grandeza de uma mãe. Não merece a veneração dos seus filhos, porque nada há tão pouco apreciável como o egoísmo, e ela é egoísta.
A que aspira a ser mãe perfeita, deve cultivar o instinto da maternidade, fazendo obras de caridade que requeiram sacrifício.
A mulher que não é nem mãe material nem mãe espiritual, atrofia na sua natureza esse instinto precioso que torna venerável a mulher, concentra-se em si mesma, e prepara o caminho para o histerismo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário