Busca no Blog

19 de janeiro de 2021

Milagres que Fez Santo Antônio depois da sua morte - Segunda Parte - Capítulo XXXV

CAPÍTULO XXXV 

Como Santo Antônio foi canonizado pelo senhor Papa Gregório IX, e do que então aconteceu

O bem-aventurado Padre Santo Antônio logo desde o dia em que se passou desta vida ao gozo da face de Deus Nosso Senhor, começou de resplandecer com milagres e prodígios de espantar.

Pelo que a cidade de Pádua julgou bem enviar solenes mensageiros ao senhor Papa Gregório IX a informá-lo de quanto se passava.

E o senhor Papa, após diligente exame e madura ponderação, em dia de Pentecostes — haviam decorrido apenas onze meses depois da morte do servo de Deus — em cerimônia solene mandou ler perante a multidão dos Prelados e do povo a notícia dos ditos milagres, e aprovados que eles foram, fez o sinal da Cruz e em nome da Santíssima Trindade inscreveu o bem-aventurado Santo
Antônio no catálogo dos Santos.

E depois de ordenar que a sua festa se celebrasse todos os anos no dia treze de Junho, aniversário da sua morte, entoou solene Te Deum de acção de graças e ao fim levantou a antífona dos Doutores da Igreja O doctor optime, Ecclesiae Sanctae lumen, que foi cantada pelo coro com majestosa solenidade. E, depois do versículo, o Sumo Pontífice, a rematar a festa, muito devotamente recitou a oração própria do Santo.

Ora naquele mesmo dia, todo o povo da cidade de Lisboa onde Santo Antônio nascera, sobremaneira se alegrou sem saber a causa de tamanha alegria, pois não chegara a notícia de que se estava procedendo à canonização do Santo seu patrício.

E, o que é ainda mais de espantar: os sinos da cidade tocaram por si mesmos, não os tangendo ninguém. Era para se dizer que as vozes dos sinos apregoavam a solenidade que lá longe se fazia em honra de Santo Antônio.

E dali a pouco veio a saber-se em Lisboa que naquele dia fora o bem-aventurado Padre Santo Antônio exaltado às honras dos altares. E vendo-se a cidade enobrecida com os resplendores de muitos milagres, honrosamente dedicou a Santo Antônio o altar-mor da Igreja catedral; e todos as anos se celebra ali a sua festa, solenemente, com prodígios e milagres.

Nenhum comentário:

Postar um comentário