Busca no Blog

17 de fevereiro de 2019

Tesouro de Exemplos - Parte 604

O PASTORZINHO PREGUIÇOSO

Vou contar-vos uma lenda, que se passou no tempo em que nasceu o Menino Deus.
Os pastores estavam, como sempre, nos arredores de Belém, guardando seus rebanhos de cabras e de ovelhas. Quando naquela fria noite de dezembro ouviram as vozes harmoniosas dos Anjos, e o amável convite para irem visitar o Menino Jesus, que acabava de nascer, todos os pastores, menos um, correram à gruta de Belém.
Mas havia ali um pastorzinho preguiçoso, que dizia aos que o convidavam:
— Vão vocês, que eu não vou. Dizem que nasceu um menino... Ora, muitos meninos nascem no mundo cada dia! Levantar-me a estas horas, e logo nesta noite tão fria de inverno!?. ..
E não se levantou.
Os outros companheiros correram com grande alegria ao presépio e, ajoelhando-se aos pés do Menino Deus, o adoraram e ofereceram-lhe os presentes que haviam levado.
De repente, o pastor que ficara sozinho começou a sentir-se mal. Teve medo de ficar ali sozinho... Levantou-se, correu à gruta, aproximou-se devagarinho do presépio e, meio disfarçado, pôs-se a olhar... Olhava, olhava, arregalava os olhos, mas não via nada de especial, de extraordinário. O que o surpreendia era ver como seus companheiros estavam ali enlevados a contemplar o Menino, e perguntavam:
— Mas, então, você não vê esta maravilha?
— Não vejo nada de extraordinário, mas gostaria de ver...
— E você não trouxe nenhum presente para o Menino?
— Nenhum. Nem pensei nisso.
— Pois é preciso oferecer-lhe alguma coisa: quem não tem um coração generoso, como há de ver a Deus?
O pastorzinho notou que o Menino devia estar sentindo bastante frio e, como no momento não tinha outra coisa melhor, despiu seu próprio capote e com ele cobriu e agasalhou o recém-nascido com muita ternura e carinho.
E eis que, nesse mesmo instante, abrem-se-lhe os olhos. Ele vê... vê o esplendor de um Deus feito menino... vê e cai de joelhos e permanece assim longo tempo adorando e oferecendo seu coração ao Menino Jesus de Belém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário