Busca no Blog

10 de fevereiro de 2019

Tesouro de Exemplos - Parte 596 a 598

CASOS ATRIBUÍDOS AO PIOVANO

1. Vendo o Piovano que lhe furtavam ovos do galinheiro, resolveu descobrir o ladrão custasse o que custasse e, para isso, pôs de emboscada o seu empregado. Vendo este quem roubava os ovos, correu ao Piovano e disse:
— É o vosso compadre N. que acaba de roubar e pôr no seio dez ovos.
O Piovano, aparecendo à porta, viu o compadre com a camisada de ovos e, disfarçando, convidou-o a entrar para um dedo de prosa; mas o outro se desculpou, dizendo que estava com pressa e depois voltaria.
— Ora, compadre, entre um pouco ao menos. — Fazendo- lhe carícias e abraçando-o fortemente, quebrava-lhe no seio todos os ovos. O compadre sentia que os malfadados ovos lhe escorriam pelas coxas e pernas, de sorte que, muito envergonhado, indenizou o Piovano daqueles prejuízos e nunca mais quis roubar ovos.
Certo sujeito aproximou-se do Piovano, dizendo:
— Quero contar-lhe um segredo muito importante, mas o sr, há de prometer-me de não dizê-lo a ninguém.
Respondeu o Piovano:
— Como quer que eu não o diga a ninguém, quando você mesmo não é capaz de o guardar?

2. Dois aldeões foram ter com o Piovano, por um negócio muito sério, e disseram-lhe:
— Enquanto estávamos a podar o vinhedo, um cuco cantou perto de nós, e cada um dizia: Ele cantou para mim... e discutimos e apostamos um asno contra vinte liras, e um de nós depositou o dinheiro e o outro, o asno; e viemos aqui para decidirdes a questão e estaremos pela vossa sentença.
O Piovano aceitou a incumbência, mas pediu que lhe dessem prazo para pensar. A noite veio um deles para puxar o Piovano para o seu lado e deu-lhe dois queijos. Apenas saiu o primeiro, apareceu o outro com vinte ovos, e recomendou vivamente a sua causa. A ambos dirigiu o Piovano algumas belas palavras.
Na manha seguinte, voltou aquele dos queijos, trazendo alguns frangos e recomendando-se. Quando este se retirou, chegou o dos ovos com algumas galinhas e muitos rogos; e assim fizeram diversas vezes, trazendo sempre presentes melhores e mais lindos. Quando o Piovano achou que tinha recebido bastante, mandou chamar os dois e disse-lhes:
— Achei a resposta! Tu ficarás com o teu asno, e tu com as tuas vinte liras, porque eu acho que o cuco não cantou para nenhum de vós, mas para mim. Prova disso é que cada um de vós me trouxe belíssimos presentes, cinco ou seis vezes, não havendo ninguém tão tolo como vós... Eu vos restituirei tudo que trouxestes; mas, considerando que, se tivésseis feito isso com algum outro juiz, não receberíeis nada e ainda teríeis de pagar, vinde, alegremo-nos e banqueteemo-nos com os ovos, galinhas e queijos...

3. Estando um dia a conversar com o Piovano alguns de seus amigos, um déles disse que seria fácil matar um grande capitão, do qual haviam descoberto muitas traições. O Piovano respondeu: Fácil seria se se encontrasse alguém que lhe pendurasse o chocalho. E perguntando-lhe o outro o que aquilo significava, contou-lhe esta novela: Fizeram os ratos certo dia um grande congresso, ao qual compareceram os principais chefes de todo o mundo. Estando todos reunidos, discursou o presidente da augusta assembleia desta maneira; Nós vos reunimos aqui para ouvir o vosso parecer sobre uma questão muito importante, isto é, como nós havemos de por em seguro contra os gatos, que, vós bem sabeis, perseguem-nos sem tréguas e fazem grande estrago entre nós. Muitos foram os pareceres e, entre os numerosos oradores, houve um que disse: A mim me parece que se deve pendurar um chocalho ao pescoço dos gatos, porque, assim, não se poderão mover sem se ouvirem os sons, e nós teremos tempo de fugir.
Afirmaram todos que esse era o melhor parecer e assim se devia fazer. Então o presidente, tomando a palavra, disse que muito lhe agradava semelhante descoberta, mas que era preciso encontrar quem pendurasse o chocalho... Olharam todos uns para os outros, e não houve entre os ratos ninguém que se oferecesse para pendurar o chocalho.
N. B. — Trata-se do Piovano Arloto (Arjoto Mainardi). Piováno (ou Pieváno) significa “vigário de freguesia rural”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário