Busca no Blog

1 de dezembro de 2018

Retratos de Nossa Senhora, Juan Rey, S. J.,

RETRATOS DE NOSSA SENHORA

Uma Cópia da Virgem Santíssima


Esta coleção de retratos da Virgem Santíssima encerra-se com o retrato duma sua filha, que copiou em si mesma com perfeição a imagem de sua Mãe:
Santa Maria Goretti, filha de Maria e mártir da pureza.
Sabeis quando recebeu Maria Goretti a medalha de Filha de Maria?
Quando agonizava no hospital, depois de ter sido apunhalada por defender a sua pureza.
Na casa onde morreu a Santa, existe uma lápide com esta inscrição: "Aqui passou Maria as suas últimas horas, aqui perdoou ao seu assassino, aqui recebeu o Viático e a medalha de Nossa Senhora, aqui morreu".
As últimas horas da virgem mártir foram um desfalecer de amor pela Rainha dos Céus.
Beijava com fervor impressionante a imagem da Santíssima Virgem.
Tinha os olhos cravados no quadro de Nossa Senhora que estava pendurado na parede. 
"Nossa Senhora espera-me", repetia com plena consciência e com doce convicção.
Ao ver este carinho que a virgem mártir manifestava pela Virgem das virgens, foi quando o confessor lhe propôs: Gostarias de ser inscrita nas Filhas de Maria? Um clarão de alegria brilhou no seu semblante e respondeu: muitíssimo. Pois então enviarei o teu nome para a Congregação de Roma e entretanto imponho-te a medalha.
Quando a fita de Filha de Maria pendia do seu pescoço, aquele anjo de pureza esquecia as suas dores, pegava na medalha e beijava-a com fervor. Que contente de ter por Mãe a Virgem Santíssima!
E Nossa Senhora, que contente e orgulhosa por receber nos seus braços maternais aquela filha tão parecida com ela, aquela virgem fiel que tinha na mão um ramo de açucenas salpicado com o sangue do martírio!
Amor à virgindade até morrer apunhalada para a defender; e na mesma medida o amor à modéstia, pois o assassino arrependido, confessou depois que durante a luta mortal, mais que evitar as punhaladas ela preocupava-se por cobrir o corpo com os farrapos do vestido, rasgado pelo ferro homicida.
Que rasgo tão emocionante, tão heroico de pudor cristão! 
Pureza e modéstia: as duas irmãs que andam sempre juntas.
O cadáver da santa, ainda que não incorrupto, está vestido segundo o costume romano: a cabeça coberta por uma mascarilha de cera. O resto do corpo vestido com uma túnica branca, como o vestido da primeira comunhão. Sobre o peito, a medalha de Filha de Maria, pendente duma fita azul. A cintura uma faixa também azul, como a de Nossa Senhora de Lourdes. Na mão direita segura o rosário que nunca abandonava em vida, aquele rosário que tinha sempre na mão durante os dias angustiosos em que viveu sob a ameaça do assassino. Numa mão continua segurando o rosário e na outra uma palma de prata, simbolo do triunfo martirial da sua virgindade.
Assim descansa o cadáver da Filha de Maria como os corpos dos santos, debaixo do altar servindo de ara ao esposo das almas virgens que se sacrifica todos os dias sobre o altar; assim passeou triunfante pelas campinas e cidades de Itália; assim passeou em triunfo pelas ruas da Cidade Eterna.
A fita azul e a medalha de Nossa Senhora sobre um corpo crivado de catorze punhaladas, catorze açucenas esmaltadas com a púrpura do seu próprio sangue.
Formosa cópia da Virgem Santíssima menina, da Virgem Santíssima jovem, da Virgem Santíssima mártir, da Santíssima Virgem virgem.
Filha de Maria que teve uma alma e um coração semelhantes aos de sua Mãe e por isso amou as virtudes queridas de sua Mãe: a pureza, a modéstia.
Copia a Virgem Santíssima, tua Mãe, como a copiou esta tua irmã.
Para te ajudar nisso, ponho nas tuas mãos, este livro, Retratos de Nossa Senhora, apesar de muito imperfeito e lembro-te as palavras de Jesus Cristo: "Aí tens a tua Mãe!"

Nenhum comentário:

Postar um comentário