Busca no Blog

30 de março de 2020

A ALMA DE TODO APOSTOLADO

J. B. Chautard

Parte 3/4

A santidade, com efeito, reside antes de tudo na caridade; e a obra de apostolado digna deste nome é caridade em ato: Probátio amoris, diz São Gregório, exhibítio est óperis. O amor prova-se pelas obras de abnegação, e Deus exige dos seus obreiros essa prova de devotamento.
Apascenta meus cordeiros, apascenta minhas ovelhas, tal é a forma de caridade que Nosso Senhor exige do apóstolo como prova de sinceridade dos reiterados protestos de seu amor.
São Francisco de Assis não julga poder dizer-se amigo de Jesus Cristo, senão quando a sua própria caridade se consagra à salvação das almas. Non se amicum Christi reputabat, nisi ánimas favoret quas ille redemit.
E se Nosso Senhor considera como feitas a si mesmo as obras de misericórdia, mesmo corpórais, é porque em cada uma delas descobre a irradiação dessa mesma caridade que anima o missionário ou sustenta o anacoreta nas privações, combates e orações do deserto.
A vida ativa entrega-se às obras de dedicação. Caminha pelos atalhos do sacrifício em seguimento de Jesus obreiro e pastor, missionário, taumaturgo, remediador e médico universal,dispensador terno e infatigável para todos os necessitado deste mundo. A vida ativa lembra-se e vive desta palavra do Mestre: Eu estou no meio de vós como servo. O Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir.
Vai pelos caminhos da miséria humana, anunciando o verbo que ilumina, semeando em derredor dela uma messe de graças, que se desatam em todo gênero de benefícios.
Graças às clarividências de sua fé, graças às intuições de seu amor, descobre no pior dos desgraçados, nos mais mofinos dos desditosos, o Deus nu, lastimoso, desprezado de todos, o grande leproso, o misterioso condenado que a justiça eterna persegue e acabrunha com os seus golpes, o homem das dores que Isaías viu erguer-se no luxo horroroso das suas chagas, na púrpura trágica do sangue, de tal sorte desfigurado e retalhado pelos cravos e pelos instrumentos de flagelação que se contorcia como o verme que se esmaga.
Também nós o vimos e não o reconhecemos, exclama o profeta.
Ó vida ativa, tu perfeitamente o reconheces; e, de joelhos, de olhos banhados de lágrimas, tu o serves nos pobres.
A vida ativa melhora a humanidade. Fecundando o mundo com suas generosidades, com os seus trabalhos, com os seus suores, semeia méritos para o céu.
Vida santa que Deus recompensa, porque dá o paraíso tanto ao copo de água do pobre, como aos infólios do doutor, aos suores do apóstolo. No dia derradeiro, perante o céu e a terra reunidos, Deus há de canonizar todas as obras de caridade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário